Segunda, 19 de Novembro de 2018
   
Tamanho do Texto

Pesquisar

Provérbios 14.4

     

Provérbios 14.4

“Onde não há bois o celeiro fica vazio, mas da força do boi vem a grande colheita” (Pv 14.4 NVI). 

Meu avô e sua família vieram da Itália para o Brasil a fim de cultivar café. Na época, era preciso um grande número de colonos para dar conta do tamanho da demanda da produção brasileira desse grão. Hoje em dia é diferente. Tratores fazem o preparo da terra, irrigação automatizada fornece toda a água requerida na produção e colheitadeiras especializadas fazem um trabalho fantástico de colheita e separação de grãos. Com muito menos gente é possível, hoje em dia, produzir muito mais.

Nos dias de Salomão não existiam tratores, mas ainda assim havia recursos para facilitar a produção agrária. O mais importante deles era o arado puxado por bois. Sem trabalhar a terra antes do plantio, a produção é drasticamente reduzida. Por isso, “onde não há bois” trabalhando na produção, o resultado é que “o celeiro fica vazio”. Por mais capacitado que seja o agricultor, ele não pode fazer aquilo para o que não tem força de realizar sozinho. Por outro lado, quando a “força do boi” é aplicada na produção, o rei sábio diz que o produtor colherá uma “grande colheita”.

Ótimo tema para o Globo Rural. Contudo, Salomão não tem prioritariamente em mente o tema agropecuário, mas outro mais amplo que se aplica a toda a vida. Algumas lições que podemos extrair desse sábio provérbio são: 1) Devemos conhecer nossos limites e as necessidades que eles nos impõem; 2) É preciso investir todos os recursos possíveis a fim de se obter os melhores resultados; 3) Todo mundo precisa de ajuda de outros para realizar certas tarefas. Por isso, além de sabedoria no planejamento de uma tarefa, esse texto ensina humildade para reconhecer os limites pessoais e buscar ajuda. Afinal, inteligência e força juntas fazem coisas impressionantes.

Pr. Thomas Tronco

Este site é melhor visualizado em Mozilla Firefox, Google Chrome ou Opera.
© Copyright 2009, todos os direitos reservados.
Igreja Batista Redenção.