Quarta, 18 de Julho de 2018
   
Tamanho do Texto

Pesquisar

Provérbios 14.6

     

Provérbios 14.6

“O zombador busca sabedoria e nada encontra, mas o conhecimento vem facilmente ao que tem discernimento” (Pv 14.6 NVI). 

Nossa época conheceu e conhece grandes nomes ligados à ciência. Mesmo entre as crianças nas escolas, alguns desses grandes homens são bastante conhecidos pelo que estudaram e contribuíram para o conhecimento da humanidade. Embora sabendo tanto, boa parte deles rende a existência de tudo que conhecemos a uma absurda sequência de acasos baseados em “fatos” que nunca foram nem serão jamais comprovados. Segundo a maioria deles, uma massa de gás, que não se sabe de onde veio, explodiu por uma razão desconhecida e deu origem ao universo como conhecemos. Na Terra, substâncias inorgânicas foram unidas por raios e radiação que não podem ser comprovados para formar substâncias orgânicas simples, as quais, quase com uma inteligência superior, foram se modificando até chegar à perfeição que é constante tema de programas de televisão sobre as maravilhas da vida.

A pergunta é: por que homens tão estudados seriam tão supersticiosos e místicos em uma área tão importante para a ciência? A resposta é dada pelo rei Salomão há três milênios. Ele se refere ao “zombador” — que não é exatamente um piadista, mas aquele que despreza a Deus e zomba de tudo que as Escrituras e a fé defendem — como alguém que também se dedica ao pensamento e à busca da verdade. Porém, por desprezar o criador da verdade e de toda existência, ele “busca sabedoria e nada encontra”. Por isso, ainda que sejam homens extremamente capacitados, suas conclusões são risíveis, sem fundamento e constituem o oposto de todo o processo científica que defendem. É apenas uma religião da incredulidade, do ateísmo e da zombaria. O resultado final é somente ignorância.

Por outro lado, há aquele que “tem discernimento”. No contexto do livro, não se trata do homem com capacidade intelectual superior, mas daquele que teme a Deus e que, por isso, é chamado sábio (Pv 1.7). Apesar de ele nem sempre ter o mesmo conhecimento ou os mesmos recursos dos cientistas zombadores, “o conhecimento vem facilmente”, pois eles dão crédito à verdade revelada por Deus. Eles não tentam ser criativos, mas fiéis. Não são inovadores, mas apegados à verdade eterna. Não chegam a conclusões novas que fogem do ensino de Jesus e dos apóstolos. Por isso, mesmo que não tenham o mesmo estudo que os cientistas, chegam a conclusões que até a razão comum observa e comprova. Assim, o que é melhor? Ser um tolo com um Nobel, ou um homem simples com a Palavra?

Pr. Thomas Tronco

Este site é melhor visualizado em Mozilla Firefox, Google Chrome ou Opera.
© Copyright 2009, todos os direitos reservados.
Igreja Batista Redenção.