Domingo, 23 de Setembro de 2018
   
Tamanho do Texto

Pesquisar

Provérbios 14.14

    

Provérbios 14.14

“Os infiéis receberão a retribuição de sua conduta, mas o homem bom será recompensado” (Pv 14.14 NVI). 

Quando eu era menino, brincando com meu primo em frente à casa da minha avó, ouvi-o dizer: “Quem cospe para cima, o cuspe cai na testa”. Essa frase me intrigou tanto que eu não apenas me lembro dela, como me recordo com perfeição de tudo que havia ao redor, como se estivesse hoje mesmo diante dos meus olhos. O que me marcou foi a confusão que senti ao tentar entender — e visualizar — porque e como alguém iria querer cuspir para cima, recebendo sobre ele mesmo o resultado daquele ato. Durante muito tempo isso foi um mistério para mim, até que entendi que se tratava de um provérbio popular que tem a intenção de ensinar que cada pessoa recebe os efeitos dos seus atos, ou, utilizando outra figura, colhe o que plantou.

Parece que essa sabedoria é bem mais antiga do que possa aparentar. Salomão fala do procedimento do “infiel”. Ao qualificá-lo desse modo, não é preciso dizer que ele age segundo critérios corrompidos e uma moral distorcida. Também não é necessário dizer que, em seus atos, ele produz o mal e o sofrimento para outros. Dá para entender que esse homem trama o mal e não teme o Senhor — veja a descrição de Davi de um homem assim (Sl 36.1-4). Contudo, o Senhor que governa o universo e que conhece o coração de cada homem, ainda que tenha marcado um dia para julgar a humanidade, frequentemente trata os pecados dos perversos nesse tempo, fazendo-os colher o que plantaram, de modo que o escritor avisa que eles “receberão a retribuição de sua conduta”. O texto hebraico dá a ideia de que aquilo que eles procuram — o mal dos outros — encontram para eles mesmos.

Porém, a mesma regra se aplica ao “homem bom”. Ele também faz um plantio, porém de coisas boas, de devoção a Deus, de amor aos outros, de honestidade e honradez, de compromisso com o que é correto e de bom testemunho aonde quer que vá. Por isso, o resultado, que é obviamente conduzido e produzido pelo soberano Deus, é que ele “será recompensado” — o texto hebraico produz a mesma ideia de se fartar daquilo que se busca e que é produzido. Por fim, é como se nossos atos fossem sementes plantadas para a colheita que nos fartará. Sendo assim, quais são as sementes que você tem lançado ao solo? É bom que você goste muito dela, pois você comerá até o último grão do que plantou.

Pr. Thomas Tronco

Este site é melhor visualizado em Mozilla Firefox, Google Chrome ou Opera.
© Copyright 2009, todos os direitos reservados.
Igreja Batista Redenção.