Quinta, 19 de Julho de 2018
   
Tamanho do Texto

Pesquisar

Provérbios 16.32

  

Provérbios 16.32

“Melhor é o homem paciente do que o guerreiro, mais vale controlar o seu espírito do que conquistar uma cidade” (Pv 16.32 NVI). 

Dois grupinhos de meninos tiveram a mesma ideia ao mesmo tempo: jogar bola no campinho do bairro. Como chegaram juntos ao local, nenhum dos dois podia clamar o direito de uso do campo por estar lá primeiro. A conversa começou a se desviar do tema central, ofensas foram ditas, a discussão foi crescendo e a briga coletiva era iminente. Até que uma senhora entrou no meio da confusão e propôs que eles resolvessem essa disputa em campo, jogando um time contra o outro. Aquela sábia senhora não apenas impediu a briga como fez com que as diferenças sumissem e a amizade de todos fosse reforçada. Há momentos em que a paz conquista muito mais que a violência.

Salomão podia ensinar algo nesse sentido, pois sua experiência pessoal o favorecia. Ele dirigiu o período mais glorioso na nação israelita, não por meio da guerra, mas da paz. Seu pai havia feito guerras que criaram um pequeno império para Israel governar. Salomão herdou esse império e usufruiu, em meio à paz, do poder que a guerra lhe concedeu. Porém, ele foi muito além. Com tratados comerciais e cobrança de impostos por direito de comércio e transportes de produtos, ele deu a Israel seu período de maior riqueza bem maior que nos dias das conquistas militares. Por isso, por experiência própria, podia dizer que “melhor é o homem paciente do que o guerreiro”. A guerra sempre teve seu lugar na história dos reinos e impérios, mas os maiores avanços e lucros foram obtidos por homens controlados que resolveram grandes problemas com conversas e paciência em vez de fazer seu povo sangrar.

Essa lição é inegável, mas ela serve de ponte para uma ainda maior: “Mais vale controlar o seu espírito do que conquistar uma cidade”. Se controlar outra nação, seja pela paz ou pela guerra, já era uma coisa grandiosa, controlar o próprio espírito era uma conquista ainda maior. É como se dissesse que é fácil conquistar um país, mas muito difícil controlar os impulsos e desejos. A lição é sobre domínio próprio. A motivação para se dominar é que o homem descontrolado acaba sendo controlado por Deus, o que nem sempre se dá de modo indolor. No final, Tiago é o melhor parceiro de Salomão para ensinar essa verdade tão importante para quem teme ao Senhor, dizendo: “Meus amados irmãos, tenham isto em mente: Sejam todos prontos para ouvir, tardios para falar e tardios para irar-se, pois a ira do homem não produz a justiça de Deus” (Tg 1.19,20). E então: ainda quer brigar?

Pr. Thomas Tronco
Este site é melhor visualizado em Mozilla Firefox, Google Chrome ou Opera.
© Copyright 2009, todos os direitos reservados.
Igreja Batista Redenção.