Quarta, 26 de Setembro de 2018
   
Tamanho do Texto

Pesquisar

Provérbios 16.33

  

Provérbios 16.33

“A sorte é lançada no colo, mas a decisão vem do Senhor” (Pv 16.33 NVI). 

No ano 50 a.C., Júlio César, que ainda não era imperador, foi ordenado pelo senado a abrir mão de suas legiões e dos seu direitos políticos, vindo a Roma, onde seria processado e banido da vida política. Sem muitas opções, Julio César tomou a decisão de desobedecer à ordem e de fazer algo que era proibido a qualquer general romano: atravessar o Rubicão, rio localizado ao norte da Península Itálica, acompanhado de sua legião de soldados. Ao fazer isso, ele deixou clara sua disposição de uma guerra civil, além da forte ameaça de retaliar qualquer ação contra ele, o que acabou levando-o ao trono de um recém-forjado império. Ao atravessar o rio, sabendo que o seu futuro e o da nação eram incertos, ele disse a famosa frase alea jacta est! que, em português, quer dizer “a sorte está lançada”.

A ideia da sorte como detentora dos rumos dos acontecimentos é e sempre foi comum na mente das pessoas. Na verdade, é tão comum que a Bíblia se vale dessa linguagem em diversas partes para enfatizar a participação divina nos rumos da história. Por isso, Salomão diz que “a sorte é lançada no colo”. É a imagem de pedras ou alguma espécie de dados sendo arremessados ao acaso no colo de alguém a fim de, dependendo do resultado, definir os rumos e as escolhas das pessoas. Exemplos bíblicos desse tipo de sorte podem ser vistos na divisão da terra conquistada pelos israelitas (Js 18.10), no Antigo Testamento, e na escolha do discípulo de Jesus que deveria tomar o lugar de Judas Iscariotes (At 1.26), no Novo Testamento. A pergunta é: que tipo de homem insensato tomaria decisões tão importantes por meio de pedras lançadas ao acaso?

Nesses casos, eles não eram insensatos como podem parecer, pois Deus mesmo deu a eles esse recurso de consulta da sua vontade já que eles não tinham a mesma quantidade de revelação que temos atualmente registrada nas Escrituras. Por isso, o escritor completa sua ideia dizendo que “a decisão vem do Senhor”, ou seja, que as pedras eram lançadas, mas Deus as fazia cair como ele queria. Hoje não temos mais pedras de lançar sortes, mas o Senhor ainda é soberano para guiar os acontecimentos ao nosso redor. Por essa mesma razão, o servo de Cristo deve orar antes de cada decisão, além de consultar as Escrituras e buscar conselhos com homens de Deus. De modo algum pode seguir um rumo que a Bíblia proíbe e não pode se sentir independente do Senhor para agir. Se Deus pode controlar de que lado cai uma pedra, pode controlar tudo que existe. Isso é tão sério que, se você tomar a decisão de desobedecê-lo, também pode temerosamente dizer que “a sorte está lançada”.

Pr. Thomas Tronco

Este site é melhor visualizado em Mozilla Firefox, Google Chrome ou Opera.
© Copyright 2009, todos os direitos reservados.
Igreja Batista Redenção.