Quarta, 20 de Junho de 2018
   
Tamanho do Texto

Pesquisar

Reflexão de 13 de outubro

  

13 de outubro

Leitura do dia (para ler a Bíblia inteira em 1 ano): Apocalipse 13; Ester 3–4; Salmo 106.1-23

Reflexão do dia: Provérbios 13.23

“A lavoura do pobre produz alimento com fartura, mas por falta de justiça ele o perde”.

Certa moça teve uma infância difícil. A família era pobre e ela sempre teve de se esforçar em dobro para suprir o que necessitava. Apesar das dificuldades, sempre foi fiel a Deus e dedicada à família, à igreja e à obra de Deus. Um dia, as coisas mudaram. Ela conseguiu um emprego muito bom que abriu novas portas pelas quais ela decididamente passou rumo a um futuro melhor. Constituiu família, construiu uma boa casa e passou a viver dias de prosperidade. Deslumbrada com o novo mundo diante de sua janela, sentiu que devia conhecê-lo e aproveitá-lo com toda força a fim de compensar o seu passado. Seus familiares e seus irmãos da igreja quase não a viam mais. O mundo a deslumbrou tanto que ela se afastou de todos e principalmente de Deus. Finalmente, tomou decisões aprazíveis, mas erradas, e viu sua felicidade se esvair. Atualmente, ela passa os dias se lamentando.

Salomão, apesar da sua riqueza e das possibilidades que ela trazia, sabia que não é o dinheiro que torna o homem bem sucedido. Mesmo alguém sem recursos pode ter sucesso naquilo que se esforça e faz bem. Por isso, ele diz que a “lavoura do pobre”, a qual não conta com altos investimentos e com a ajuda de recursos apropriados, “produz alimento com fartura”. Não significa que a mediocridade é positiva, mas que as deficiências podem ser superadas com dedicação e trabalho.

Entretanto, essa não é a realidade final. Mesmo o homem bem sucedido em seus labores pode fracassar diante dos bons resultados obtidos. Havendo vitória nos intentos disposta lado a lado com a “falta de justiça”, o resultado pode ser que o esforçado e dedicado trabalhador “perde” o que alcançou. Significa que não basta alcançar os objetivos. É necessário ser temente a Deus e deixar que sua Palavra o guie para que ele não apenas saiba como aproveitar seus bens e sua condição favorável, como também mantê-las. Por isso, vemos muita gente subindo e caindo na vida. A capacidade de galgar novas posições não dispensa a sabedoria para administrar o obtido, nem o bom relacionamento com Deus para que os valores sejam todos colocados em seus lugares corretos. Caso contrário, o que se dirá dele é outro provérbio: “Esse nadou e morreu na praia”.

Pr. Thomas Tronco

VOLTAR

Este site é melhor visualizado em Mozilla Firefox, Google Chrome ou Opera.
© Copyright 2009, todos os direitos reservados.
Igreja Batista Redenção.