Sexta, 21 de Setembro de 2018
   
Tamanho do Texto

Pesquisar

Reflexão de 1º de novembro

  

1º de novembro

Leitura do dia (para ler a Bíblia inteira em 1 ano): 1Timóteo 3; Isaías 36–37; Salmo 119.97-120

Reflexão do dia: Provérbios 14.17

“Quem é irritadiço faz tolices, e o homem cheio de astúcias é odiado”.

Eu estava de carro com um amigo com quem trabalhava quando ele, distraído com a fachada de uma loja nova a quem proporia uma parceria comercial, bateu no carro da frente que parara no farol vermelho. Sabendo que estava errado, meu amigo se dirigiu ao motorista do carro da frente para pedir desculpas e tomar as providências para o conserto do veículo. Apesar da sua calma, educação e prestatividade, o motorista do carro da frente começou a esbravejar e fazer terríveis agressões verbais. Longe de querer um acordo pacífico, ele chamou a polícia. Assim que os policiais chegaram e pediram os documentos dos envolvidos no acidente, foi percebido que o motorista nervoso estava com a carta vencida. O policial o autuou e guinchou o veículo. Tudo isso ocorreu desnecessariamente, visto que meu amigo estava com o talão de cheques na mão para pagar o conserto. O nervosismo daquele motorista lhe causou um dano desnecessário.

Salomão explica situações como essa informando que o homem “irritadiço”, expressão que ele utilizou para se referir ao tolo, “faz tolices”. Ele não é dirigido pelo bom senso ou pelo desejo de paz e solução para problemas. Ele é naturalmente nervoso. Normalmente, gente assim é vítima do orgulho e de uma visão muito elevada de si mesmo. Assim, chateá-lo não é apenas algo que precisa ser corrigido, mas um crime capital. Se ele pudesse, puniria severamente qualquer pessoa que cruzasse seu caminho. Seus sentimentos estão quase sempre alterados e seu limiar de nervosismo é muito baixo, sendo que qualquer coisa o irrita e o faz explodir. A família de pessoas assim sofre demais, sem falar em seus amigos e colegas de trabalho. Ele não pode ser comparado a um relógio, o qual é confiável e marca as horas corretamente, mas sim a uma bomba-relógio.

Sem comparar o “nervosinho” ao homem sábio, Salomão continua a descrever o mesmo homem lhe chamando também de “homem cheio de astúcias”, ou uma pessoa cujos desígnios são maus e corrompidos por diversos fatores, seja o conceito errado que tem das pessoas e de si mesmo, ou pelo egoísmo e orgulho que abriga em seu coração. Segundo o rei sábio, o resultado de ser assim é ser “odiado” pelas pessoas. Não é possível bater nos outros o tempo todo, seja com palavra ou até com as mãos, e continuar a ser amado por muito tempo. Relacionamentos têm de ser construídos, cuidados e mantidos e, por isso, mesmo, podem ser destruídos. O tolo, que deixa seus nervos o dominarem, é um destruidor de relacionamentos e frequentemente acaba com poucos amigos ou até com nenhum. A desculpa que dá é que esse é o seu “jeitão” ou que seu sangue é italiano, ou espanhol ou índio. Nada disso desvia a atenção para o fato de se tratar de um tolo. Por isso, pense: qual é o seu tipo de sangue?

Pr. Thomas Tronco

VOLTAR

Este site é melhor visualizado em Mozilla Firefox, Google Chrome ou Opera.
© Copyright 2009, todos os direitos reservados.
Igreja Batista Redenção.