Quarta, 19 de Dezembro de 2018
   
Tamanho do Texto

Pesquisar

Reflexão de 9 de novembro

  

9 de novembro

Leitura do dia (para ler a Bíblia inteira em 1 ano): Tito 1; Jeremias 13–15; Salmo 125

Reflexão do dia: Provérbios 14.28

Uma grande população é a glória do rei, mas, sem súditos, o príncipe está arruinado”.

Quando eu era apenas um jovenzinho que pouco entendia de futebol, fiquei impressionado com certo jogador a ponto de me recordar dele ainda hoje. Não se trata de um atacante goleador, de um veloz volante ou de um poderoso zagueiro, mas de um goleiro. No final de um jogo em que o Santos precisava da vitória, o arqueiro Rodolfo Rodrigues pegou a bola em sua área e partiu para o ataque, driblando um adversário após outro, até chegar à meta oposta e marcar um gol que jamais esqueci. Pensei comigo que um atleta assim podia vencer sozinho qualquer partida, mas com o tempo percebi que isso não é verdade. Por melhor que seja um jogador, ela não é ninguém sem o restante do time.

Salomão conhecia esse conceito de dependência mútua, não de esportistas, mas entre o rei e seus súditos. Ninguém discutiria a importância e proeminência de um rei em seu país. Contudo, o rei somente tinha glória e poder se tivesse súditos que o honrassem, que lutassem por ele e lhe servissem. Por isso, “a glória do rei” estava diretamente ligada à “uma grande população” a seu serviço. Contudo, um “príncipe” que governasse um país “sem súditos” não tinha poder, mas apenas uma coroa. A coroa dá nobreza, mas o poder vem da população. Por isso, um rei sem súditos era um monarca “arruinado”.

A lição é clara no que tange a uma situação de governo. Entretanto, nem todos somos políticos, muito menos soberanos de um país, mas ainda para nós esse texto tem, por comparação, algo importante que nos dizer. Um servo de Deus que tenha apenas esse título não possui de fato a nobreza que anuncia. Isso somente é verdadeiro se seus atos, como súditos fieis do seu caráter, honram seu título e sua posição diante do Senhor. Ninguém é um bom servo apenas por se apresentar assim. Suas obras devem combater o arqui-inimigo dos servos do Senhor — o diabo — por meio da obediência: “Portanto, submetam-se a Deus. Resistam ao diabo, e ele fugirá de vocês” (Tg 4.7). Se não podemos reger e controlar um país, que reinemos e controlemos nosso próprio ser: “Melhor é o homem paciente do que o guerreiro, mais vale controlar o seu espírito do que conquistar uma cidade” (Pv 16.32).

Pr. Thomas Tronco

VOLTAR

Este site é melhor visualizado em Mozilla Firefox, Google Chrome ou Opera.
© Copyright 2009, todos os direitos reservados.
Igreja Batista Redenção.