Quarta, 18 de Julho de 2018
   
Tamanho do Texto

Pesquisar

Provérbios 8.14-21

  

Provérbios 8.14-21

“Meu é o conselho sensato; a mim pertencem o entendimento e o poder. Por meu intermédio os reis governam, e as autoridades exercem a justiça; também por meu intermédio governam os nobres, todos os juízes da terra. Amo os que me amam, e quem me procura me encontra. Comigo estão riquezas e honra, prosperidade e justiça duradouras. Meu fruto é melhor do que o ouro, do que o ouro puro; o que ofereço é superior à prata escolhida. Ando pelo caminho da retidão, pelas veredas da justiça, concedendo riqueza aos que me amam e enchendo os seus tesouros” (Pv 8.14-21).

O dono de uma empresa precisava de um novo gerente para sua fábrica. Assim, fez um concurso que medisse o conhecimento técnico dos candidatos, já que seu cargo dependeria de conhecimento e experiência na área. Os dois melhores candidatos, então, passaram para a fase seguinte: a entrevista. Assim que o dono da empresa entrevistou o primeiro candidato, teve uma ótima impressão. Além da boa aparência, ele tinha uma desenvoltura que o tornava um candidato desejável para ocupar uma posição tão importante. O segundo candidato não tinha a mesma aparência nem a mesma simpatia. Mas seu curriculum vitae era invejável, pois narrava a história de uma carreira marcada por sucesso e competência. Assim, o patrão escolheu o segundo candidato e nunca se arrependeu por isso. Muito pelo contrário!

Salomão também se preocupa em apresentar o curriculum vitae da sabedoria, não porque ela precise se um emprego, mas porque os tolos precisam aceitá-la e segui-la. Uma maneira de fazer isso é falar sobre a fonte da verdadeira sabedoria, ou seja, a Palavra de Deus. Mas outra boa maneira de mostrar ao homem o quanto ele precisa ser sábio, é alistar as obras que o conhecimento de Senhor e o bom senso fazem. Assim, a Sabedoria, personalizada pelo escritor, diz “meu é o conselho sensato; a mim pertencem o entendimento e o poder”, de modo que ela se qualifica como apta para tornar sábios aqueles que a ouvirem e seguirem seus conselhos. O melhor exemplo disso é o modo como tais conselhos movem até os mais poderosos da sociedade no sentido de uma boa liderança, pelo que a Sabedoria diz que “por meu intermédio os reis governam, e as autoridades exercem a justiça; também por meu intermédio governam os nobres, todos os juízes da terra”. Se até esses poderosos se tornam melhores sob a tutela da sensatez, é certo que ela pode fazer o mesmo por todos nós.

A partir daí, a Sabedoria fala de suas qualidades pessoais, das quais a primeira é o apego e a abertura que ela tem aos que amam seus conselhos, dizendo “amo os que me amam, e quem me procura me encontra”. A segunda é o benefício incalculável que ela traz ao sábio, explicando que “comigo estão riquezas e honra, prosperidade e justiça duradouras. Meu fruto é melhor do que o ouro, do que o ouro puro; o que ofereço é superior à prata escolhida”. Isso quer dizer a sensatez se vê no cuidado com os bens e com os recursos financeiros, mas que seus benefícios mais valiosos vão além do bolso das pessoas. A terceira qualidade é sua moral elevada e a pureza do seus caminhos, dizendo “ando pelo caminho da retidão, pelas veredas da justiça, concedendo riqueza aos que me amam e enchendo os seus tesouros”, o que quer dizer que quem segue pelos caminhos da Sabedoria também será justo e reto. Por isso, ao escolher quem seguir, olhe bem o que tal caminho tem feito a cada um de seus seguidores. Ao fazer isso, certamente irá preferir ter a Sabedoria com você em vez do orgulho do mundo.

Pr. Thomas Tronco   

Este site é melhor visualizado em Mozilla Firefox, Google Chrome ou Opera.
© Copyright 2009, todos os direitos reservados.
Igreja Batista Redenção.