Quarta, 29 de Março de 2017
   
Tamanho do Texto

Pesquisar

O Sinal da Aliança

 

Quando Deus fez sua aliança com Abrão (Gênesis 15.1-5), prometeu a ele, entre outras coisas, uma numerosa descendência. Essa promessa foi reiterada em Gênesis 17 e tão certo era seu cumprimento que Deus mudou o nome de Abrão, que significa "pai exaltado", para Abraão, que significa "pai de muitas nações" (Gênesis 17.5). Da mesma forma, a esposa de Abraão teve seu nome mudado de Sarai para Sara. Os dois nomes significam "princesa", mas o segundo ressalta que ela seria mãe de nações e de reis.

Além de mudar o nome de Abrão e de sua esposa, a fim de que eles se lembrassem sempre das preciosas promessas, Deus estabeleceu também um sinal físico daquela aliança que deveria ser feito em todos os homens que pertencessem à casa de Abraão, tanto filhos como escravos. Esse sinal foi a circuncisão (Gênesis 17.10-14). Tratava-se de uma pequena cirurgia que removia a carne do prepúcio - fimose - do órgão genital masculino. Aliás, a palavra circuncisão significa exatamente uma cisão (ou seja, um corte) que circunda, isto é, que segue um trajeto circular.

A circuncisão era a marca permanente dos que pertenciam à casa de Abraão e, assim, eram participantes da aliança feita entre Deus e o grande patriarca da nação de Israel. Nos bebês, essa marca deveria ser feita no oitavo dia após o nascimento (Gênesis 17.12) e quem não a fizesse seria considerado excluído da comunidade da aliança (Gênesis 17.14). Por isso, Abraão, de pronto, obedeceu à ordem divina e, no mesmo dia, aos 99 anos de idade, foi circuncidado, juntamente com seu filho Ismael e com todos os escravos que tinha (Gênesis 17.23-27).

A partir daquele dia, a circuncisão se tornou uma prática distintiva dos descendentes de Abraão. De fato, ainda hoje os judeus a realizam e há quem diga que ela é útil até por razões higiênicas e, conseqüentemente, médicas. Afirma-se, inclusive, que a circuncisão é a causa da baixa incidência de câncer de colo de útero nas esposas dos judeus.

Se isso é ou não verdade, sua importância é secundária para os propósitos deste artigo. O que é necessário dizer aqui é que a Bíblia afirma a existência de um outro tipo de circuncisão: a circuncisão do coração. O apóstolo Paulo ensina que, quando alguém, pela fé, recebe Jesus Cristo como seu salvador, esse alguém é circuncidado espiritualmente, ou seja, passa a pertencer ao povo da aliança que Deus, por meio de Cristo, firmou com o homem. Essa aliança estabelece que quem crê será salvo, de modo que aquele que tem fé em Cristo passa a se beneficiar dessa promessa e ainda recebe um coração do qual é cortada a força do pecado: "Nele também vocês foram circuncidados, não com uma circuncisão feita por mãos humanas, mas com a circuncisão feita por Cristo, que é o despojar do corpo da carne" (Colossenses 2.11).

Essa é a circuncisão que importa hoje. Você já passou por ela?

...circuncisão é a operada no coração, pelo Espírito, e não pela Lei escrita. Para estes o louvor não provém dos homens, mas de Deus. (Romanos 2.29)

Pr. Thomas Tronco

Este site é melhor visualizado em Mozilla Firefox, Google Chrome ou Opera.
© Copyright 2009, todos os direitos reservados.
Igreja Batista Redenção.