Domingo, 20 de Agosto de 2017
   
Tamanho do Texto

Pesquisar

Sodoma e Gomorra

Um ano antes do nascimento de Isaque, apareceram a Abraão anjos que seguiram viagem rumo às cidade de Sodoma e de Gomorra, próximas ao Mar Morto. A intenção dessa visita era trazer punição a essas cidades devido à maldade gritante e crescente dos seus habitantes. Deus disse: "As acusações contra Sodoma e Gomorra são tantas e o seu pecado é tão grave" (Gn 18.20).

O sobrinho de Abraão, chamado Ló, morava em Sodoma. Assim sendo, o Senhor enviou os anjos a fim de retirá-lo com sua família para não perecerem com o restante dos moradores.

Pode parecer que Deus foi excessivamente duro, mas a chegada dos anjos à cidade comprovou a iniqüidade daquele povo. Assim que chegaram a Sodoma, Ló os recebeu em sua casa e os hospedou. Algum tempo depois, os homens da cidade, velhos e moços, reuniram-se diante da casa de Ló e exigiram que ele entregasse seus visitantes, bradando: "Onde estão os homens que vieram à sua casa esta noite? Traga-os para nós aqui fora para que tenhamos relações com eles" (Gn 19.5).

Ló muito se desesperou e tentou por todos os meios dissuadi-los. Chegou a oferecer suas próprias filhas para que desistissem de atacar seus hóspedes. Mas a multidão se tornou violenta e tentou invadir a casa. Os anjos, então, protegeram Ló e cegaram todos aqueles homens.

Os anjos ainda instruíram Ló a deixar a cidade sem nem mesmo olhar para trás. Ló tomou sua esposa e suas filhas e fugiu antes de amanhecer. Deus, assim, fez vir fogo dos céus que consumiu as cidades de Sodoma e Gomorra e seus arredores. Ló e suas duas filhas se salvaram, mas a mulher de Ló, olhando para trás e demorando-se no caminho, pereceu.

A destruição foi tão grande que o historiador judeu do primeiro século, Flávio Josefo, conta que, nos dias dele, havia nesse lugar árvores que tinham frutos muito bonitos de se ver, mas que, quando apanhados, se desmanchavam como cinzas.

Essa triste história nos ensina duas lições. A primeira é que a conseqüência do pecado é bem maior do que os homens imaginam e desejam sofrer. De forma curiosa, não apenas Deus ainda é o mesmo depois de todo esse tempo, como a humanidade também é. Os homens continuam ignorando o Criador e Senhor do universo para se deleitar em prazeres do mundo. Ignoram a santidade e justiça de Deus, desprezando seu Filho, Jesus Cristo. Da mesma forma com que Deus castigou aquelas cidades, ele vai um dia julgar cada um com justiça. O apóstolo Paulo disse: "No passado Deus não levou em conta essa ignorância, mas agora ordena que todos, em todo lugar, se arrependam. Pois estabeleceu um dia em que há de julgar o mundo com justiça, por meio do homem que designou. E deu provas disso a todos, ressuscitando-o dentre os mortos" (At 17.30-31).

A segunda lição é que, pelo apego ao mundo, há quem demore a se decidir pela fé em Cristo até que não haja mais tempo, assim como aconteceu à mulher de Ló. O convite de Jesus é para que se creia nele e seja salvo do juízo: "Quem ouve a minha palavra e crê naquele que me enviou tem a vida eterna e não será condenado, mas já passou da morte para a vida" (Jo 5.24). Contudo, tal convite não durará para sempre. É necessário crer em Jesus enquanto há tempo: "Busque o Senhor enquanto é possível achá-lo; clamem por ele enquanto está perto" (Is 55.6).

Creia no Senhor Jesus como seu único salvador pessoal ainda hoje e seja salvo enquanto há tempo. A urgência em fazer isso renderá a eternidade toda de alegria na presença de Deus!

"Vocês me procurarão e me acharão quando me procurarem de todo o coração" (Jr 29.13).


Pr. Thomas Tronco

Este site é melhor visualizado em Mozilla Firefox, Google Chrome ou Opera.
© Copyright 2009, todos os direitos reservados.
Igreja Batista Redenção.