Segunda, 23 de Janeiro de 2017
   
Tamanho do Texto

Pesquisar

O Nascimento de Isaque

O capítulo 21 do livro de Gênesis conta uma história marcante: Deus cumprindo a promessa, "aparentemente impossível", do nascimento de Isaque. Eram passados 25 anos desde que Deus prometeu a Abraão uma terra e uma "descendência", quando Isaque nasceu. A espera foi tão grande que a alegria pelo nascimento do filho prometido inundou Sara. Ela disse: "Quem teria dito a Abraão que Sara amamentaria um filho? Pois na sua velhice lhe dei um filho" (Gn 21.7). Realmente, quem diria?

Isaque foi amado e cuidado. No dia em que ele não precisou mais ser amamentado, visto que estava crescendo, Abraão deu um banquete em comemoração. Nesse dia, o filho adolescente de Abraão e da escrava Hagar, chamado Ismael, ficou zombando do pequeno Isaque. Sara se desgostou muito disso e pediu que Abraão o rejeitasse. Esse, certamente, foi motivo de grande tristeza para Abraão, pois teve te mandar embora, no meio do deserto, seu filho Ismael com Hagar, sua mãe.

Chama-nos a atenção Deus ter cumprido, sem qualquer dificuldade, sua promessa a Abraão. O fato de Abraão ter 75 anos quando lhe foi feita a promessa não fez Deus se apressar no cumprimento pela óbvia dificuldade que o tempo acrescentava. Na verdade, Deus aguardou até que o "difícil" se tornou "impossível". Quando Abraão já tinha cem anos e "Sara já tinha passado da idade de ter filhos" (Gn 18.11), Deus demonstrou seu poder soberano dando-lhes Isaque.

Por outro lado, vemos a tristeza de Abraão por ter de rejeitar seu filho Ismael que era fruto de uma tentativa humana de cumprir o que Deus havia prometido. Diante disso, Deus, simplesmente, não aceitou Ismael como herdeiro de Abraão e executou seus planos normalmente conforme havia proposto. A tentativa de Abraão e de Sara foi totalmente vã e só lhes trouxe desgosto e sofrimento.

Na nossa vida não é diferente. Deus ainda é soberano e ainda tem promessas para nós. Uma delas vem das palavras do Senhor Jesus: "Venham a mim, todos os que estão cansados e sobrecarregados, e eu lhes darei descanso. Tomem sobre vocês o meu jugo e aprendam de mim, pois sou manso e humilde de coração, e vocês encontrarão descanso para as suas almas" (Mt 11.28-29). Uma promessa maravilhosa que faz com que todos desejem alcançá-la.

Entretanto, muitos buscam esse descanso por seus próprios meios. Procuram alegria e paz nos amigos, no trabalho, no dinheiro, nos prazeres e até mesmo na religiosidade, seja ela qual for. Mas o resultado é o mesmo de Abraão: fracasso.

A verdade é que antes de recebermos o "descanso" de Deus, temos de atender ao convite de Jesus que diz "venham a mim". Isso significa crer em Jesus: "Eu sou o pão da vida. Aquele que vem a mim nunca terá fome; aquele que crê em mim nunca terá sede" (Jo 6.35).

É preciso crer que Jesus é Deus, que morreu pelos pecados de quem nele crê e que pode salvar esses por meio da fé. Se você fizer isso, certamente conhecerá a paz e a alegria que "parecem impossíveis" de se ter, mas que Jesus aguarda para dar aos que crêem nele.

"Todo aquele que o Pai me der virá a mim, e quem vier a mim eu jamais rejeitarei" (Jo 6.37).

Pr. Thomas Tronco

Este site é melhor visualizado em Mozilla Firefox, Google Chrome ou Opera.
© Copyright 2009, todos os direitos reservados.
Igreja Batista Redenção.