Sábado, 21 de Outubro de 2017
   
Tamanho do Texto

Pesquisar

Esaú e Jacó

Abraão morreu aos 175 anos e foi sepultado, em Macpela, por Isaque e Ismael. A longa espera de Abraão pelo descendente prometido por Deus foi uma história que se repetiu na vida do seu filho Isaque. Durante duas décadas, Isaque não teve um descendente devido à esterilidade da sua esposa. Então, ele orou e Rebeca concebeu gêmeos que lutavam no seu ventre. Sobre isso Deus disse a ela: "Duas nações há no teu ventre, dois povos, nascidos de ti, se dividirão: um povo será mais forte que o outro, e o mais velho servirá ao mais moço" (Gn 25.23). Os meninos nasceram - primeiro Esaú, depois Jacó. Esaú, o primogênito, era um exímio caçador e agradava muito seu pai por isso. Jacó era alguém pacato que vivia em casa, sendo preferido por sua mãe.

Apesar de ser o predileto do pai, Esaú demonstrava o desejo de aproveitar cada momento sem pensar em ninguém mais e nem no futuro. Assim, tomou para si esposas da terra em que habitava, coisa que Abraão cuidou para que não acontecesse a Isaque. Isso foi motivo de amargura para Isaque e Rebeca (Gn 26.34-35). Do mesmo modo, Esaú desprezou seu direito como primogênito para se fartar com um prato de comida. Isso aconteceu quando ele voltou faminto de uma caçada no campo. Jacó tinha feito um cozido de lentilhas e Esaú pediu que lhe desse um pouco para comer. Jacó propôs trocar a comida pelo direito de primogenitura do irmão. Esaú mostrou ter sua mente só no presente ao dizer: "Estou a ponto de morrer; de que me aproveitará o direito de primogenitura?" (Gn 25.32). Com isso ele quis dizer que os riscos de morte que corria eram tão grandes que não importava para ele tais direitos. É, como se disse, que mais valia morrer jovem fazendo o que gostava que gozar direitos na velhice, à qual ele não sabia se chegaria, então vendeu sob juramento seu direito de primogenitura a Jacó.

Por mais que estivesse com fome e estivesse gostosa aquela lentilha, houve conseqüências que Esaú não previu e que não conpensaram o prazer momentâneo. Perto da morte de Isaque, Esaú foi chamado por ele para que lhe trouxesse uma caça e fosse abençoado (Gn 27.1-4). Enquanto Esaú foi ao campo, Rebeca fez uma comida saborosa com um cabrito, vestiu Jacó com as roupas de Esaú e o instruiu para que levasse ao pai a comida e fingisse ser seu irmão, a fim de receber a bênção de seu pai. Isaque, sendo cego nesse época, estranhou a voz do filho e a rapidez da caçada, mas, como as roupas e o cheiro eram de Esaú, abençou Jacó dizendo: "Deus te dê do orvalho do céu, e da exuberância da terra, e fartura de trigo e de mosto. Sirvam-te povos, e nações te reverenciem; sê senhor de teus irmãos, e os filhos de tua mãe se encurvem a ti; maldito seja o que te amaldiçoar, e abençoado o que te abençoar" (Gn 27.28-29). Quando Esaú voltou com a caça e foi descoberto o engano, Isaque confirmou a bênção dada a Jacó e disse a Esaú que ele serviria a seu irmão. "E, levantando Esaú a voz, chorou" (Gn 27.38).

Assim como Esaú, muita gente hoje em dia pretende aproveitar o momento na busca de satisfação pessoal, sem pensar no futuro. Elas também desprezam coisas importantes que parecem-lhes irrelevantes agora, mas que um dia serão motivo de dor e lamento. Jesus convida o homem a crer nele para o perdão dos pecados e para a vida eterna, ao dizer: "Em verdade, em verdade vos digo que quem ouve a minha palavra e crê naquele que me enviou tem a vida eterna, não entra em juízo, mas passou da morte para a vida" (Jo 5.24). Mas muitos rejeitam esse convite por achar que a vida eterna é algo que está longe demais. Alguns até planejam crer em Cristo "um dia". Porém, agora, não podem fazer isso para "aproveitar o momento". Certamente, muitos desses, como Esaú, também chorarão. Como ele, também perceberão que o prazer momentâneo não compensa o juízo futuro que há de vir sobre quem não creu no Filho de Deus.

Creia hoje no Senhor Jesus, entregue a ele sua vida e receba as bênçãos que ele tem reservada para todos os que são seus.

"Hoje, se ouvirdes a sua voz, não endureçais o vosso coração" (Hb 3.15).

Pr. Thomas Tronco

Este site é melhor visualizado em Mozilla Firefox, Google Chrome ou Opera.
© Copyright 2009, todos os direitos reservados.
Igreja Batista Redenção.