Sexta, 24 de Fevereiro de 2017
   
Tamanho do Texto

Pesquisar

Estudo 6 - A Revelação Especial

nos dedicamos ao estudo da revelação geral de Deus. Agora daremos atenção à revelação especial que, ao contrário da revelação geral, não é necessariamente dada a todas as pessoas.

Desde os tempos antigos Deus se revelou aos homens de diversas formas. A maior parte dessas maneiras perdeu sua utilidade depois do fechamento do cânon. Contudo, são passíveis de estudo, pois foram meios que Deus usou para revelar ao homem a sua divindade e a sua vontade.

 

MANEIRAS DA REVELAÇÃO ESPECIAL

A) SORTES

Embora não usemos mais o sistema de “lançar sortes”, em determinadas ocasiões isso serviu para revelar a vontade de Deus ao homem (Pv 16.33; At 1.21-26).

B) O URIM E O TUMIM

O peitoral usado pelo sumo sacerdote era como um grande bolso adornado com 12 pedras preciosas. Dentro havia 2 pedras, o Urim e o Tumim, que eram retiradas, como as sortes, a fim de determinar a vontade de Deus (Ex 28.30; Nm 27.21; Dt 33.8; 1Sm 28.6; Ed 2.63).

C) SONHOS

O sonho, mesmo sendo uma experiência comum, muitas vezes foi usado por Deus para se comunicar com homens no período do AT, o que ocorrerá novamente por ocasião da segunda vinda de Cristo (Gn 20.3,6; 31.11-13,24,40-41; Jl 2.28).

D) VISÕES

Muitos homens de Deus tiveram visões como revelação de Deus. É notável que, nelas, eles, principalmente, “ouviram” as palavras do Senhor (Is 1.1; 6.1; Ez 1.3).

E) TEOFANIAS

Antes da encarnação, as teofanias estavam associadas com a aparição do “Anjo do Senhor”, que comunicou a mensagem divinas às pessoas (Gn 16.7-14; Ex 3.2; 2Sm 24.16; Zc 1.12).

F) ANJOS

Deus, muitas vezes, usou seus anjos para entregar mensagens divinas aos homens (Dn 9.20-21; Lc 2.10-11; Ap 1.1).

G) OS PROFETAS

Os profetas do AT trouxeram a mensagem de Deus para a humanidade (2Sm 23.2; Zc 1.1), assim como fizeram os do NT (Ef 3.5). Eles falavam diretamente da parte de Deus, diferente dos mestres de hoje em dia, que ensinam com base no que foi previamente revelado pelas Escrituras.

H) EVENTOS

A atuação de Deus na história também o revela. A libertação de Israel revelou os atos de justiça do Senhor (Mq 6.5). Os atos de juízo revelam quem Deus é (Ez 25.7), assim como a encarnação de Cristo (Jo 1.14; Hb 1.3). Deve-se ressaltar que esse tipo de revelação se dá por meio de fatos históricos reais, sem que tenhamos de procurar um sentido espiritual escondido por detrás do texto. Assim, quando a Bíblia fala de guerras e povos do passado, refere-se, de fato, a guerras e povos do passado e não a outras entidades representadas por metáforas. Além do mais, a própria Palavra de Deus revela a atuação de Deus em diversos fatos históricos.

I) JESUS CRISTO

Indiscutivelmente, a encarnação de Jesus Cristo foi um dos principais meios dessa revelação especial. Ele revelou o Pai (Jo 1.14; Hb 1.2-3), mostrou a natureza de Deus (Jo 14.9), o poder de Deus (Jo 3.2), a sabedoria de Deus (Jo 7.46), a glória de Deus (Jo 1.14), a vida de Deus (1Jo 1.1-3) e o amor de Deus (Rm 5.8). Nosso Senhor fez tudo isso tanto por intermédio de seus atos (Jo 2.11) como por meio de suas palavras (Mt 16.17).

J) A BÍBLIA

A Bíblia é o meio mais abrangente da revelação, pois engloba o registro de muitos aspectos dessa revelação. É claro que nem tudo que Deus revelou a homens e que Jesus fez está registrado na Bíblia (Jo 21.25). Por outro lado, a Bíblia não contém apenas relatos de visões e os feitos de Jesus. Há também diversas verdades adicionais reveladas por meio dos escritores bíblicos. Assim, a Bíblia é, ao mesmo tempo, registro de aspectos da revelação de Deus e a própria revelação.

Três aspectos importantes da revelação na Bíblia. Ela é:

·         Verdadeira (Jo 17.17);

·         Progressiva (Hb 1.1);

·         Possui um propósito (Jo 20.31; 2Tm 3.15-17).

 

VOLTAR  

Este site é melhor visualizado em Mozilla Firefox, Google Chrome ou Opera.
© Copyright 2009, todos os direitos reservados.
Igreja Batista Redenção.