Sábado, 25 de Março de 2017
   
Tamanho do Texto

Pesquisar

Estudo 23 - O Cristão e o Pecado

 

Um problema difícil para o cristão é o fato de, apesar de salvo, continuar pecador. O vislumbre da impossibilidade de pecar pode gerar um de dois erros: o perfeccionismo ou o antinomismo.

O perfeccionismo ensina que o cristão não deve nunca mais pecar e crê ser possível viver sem pecado. Assim, coloca uma carga insustentável sobre os crentes de modo a desprezar a graça de Deus. O antinomismo é o relaxamento do padrão de santidade sob a desculpa de que, já que não se pode deixar de pecar, é bobagem lutar contra o pecado, de modo a desprezar a santidade de Deus. Essas duas opções levam à escravidão e à libertinagem, respectivamente. O correto é que o cristão ande na luz (1Jo 1.7) desfrutando tanto da transformação da vida regenerada, como do perdão do Salvador.

 

A) OS INIMIGOS DO CRISTÃO

1.     O mundo – Refere-se ao sistema de vida mundano patrocinado por Satanás, do qual o cristão foi retirado (Gl 1.4; Ef 2.2). Várias são as informações contidas na Bíblia sobre como o cristão pode se defender do mundo:

a.     A armadura de Deus (Ef 6.13-18).

b.    O conhecimento das estratégias de Satanás (2Co 2.11).

c.     A vigilância (1Pe 5.8).

2.     A carne – Refere-se à pecaminosidade que há em cada um, a qual produz obras más (Gl 5.19), é caracterizada por paixões e concupiscências (1Jo 2.16) e pode escravizar o cristão (Rm 7.25). O modo de combater essa tendência ao pecado é a negação pessoal (Gl 5.24) e a dependência do Espírito para realizar obras contrárias às da carne (Gl 5.22-23).

3.     O Diabo – Satanás é o grande inimigo dos cristãos. Ele é perigoso, pois possui estratégias muito bem planejadas (2Co 2.11; Ef 6.11), é persistente na busca de ocasiões de atacar (1Pe 5.8) e é poderoso (Ef 6.12).

 

B) PENALIDADES PELO PECADO

1.     Para o ímpio – O ímpio que morre sem o perdão dos seus pecados sofrerá o tormento eterno no lago de fogo (Ap 20.15).

2.     Para o cristão pecador – Quando o cristão peca, há a perda de comunhão com Deus e com a igreja (1Jo 1.3,6,7) e de alegria (Jo 15.10,11). Além disso, quando o crente peca, ele anda na escuridão (1Jo 2.10,11) e tem a oração focada na vontade de Deus (1Jo 3.21,22).

3.     Para o cristão que persiste no pecado – Os cristãos que persistem em viver no pecado de maneira contínua podem ser disciplinados por Deus (Hb 12.5-11), excluídos da comunhão da igreja (Mt 18.17; 1Co 5.1-5,13; 1Tm 1.20) e até sofrerem consequências maiores como doenças e morte (1Co 11.30).

 

C) A PREVENÇÃO DO PECADO

1.     A Palavra de Deus – As Escrituras, quando aprendidas e memorizadas, nos ajudam a lutar contra o pecado (Sl 119.11).

2.     A intercessão de Cristo – Jesus, que intercede pelos crentes (Rm 8.34; Hb 7.25), demonstrou ter interesse em nos ajudar a lutar contra o pecado, intercedendo por nós também nesse aspecto (Lc 22.32, Jo 17.15).

3.     A habitação do Espírito Santo – O Espírito Santo habita em cada cristão ajudando-o a combater o mal. Ele exerce uma atividade instrutiva sobre os filhos de Deus (Jo 14.26). Pelo ensino é possível ao crente discernir entre o bem e o mal, entre a verdade e o erro (Hb 5.14). Além disso, uma ótima maneira de lutar contra o mal é fazer o bem, de modo que o Espírito Santo capacita o cristão a fazer o bem (1Co 12.4-7; Gl 5.22-23).

 

D) O REMÉDIO PARA O PECADO

O remédio para o pecado é a confissão (1Jo 1.9). Isso não significa simplesmente mencionar uma lista de pecados, mas se arrepender deles e deixá-los.

 

Este site é melhor visualizado em Mozilla Firefox, Google Chrome ou Opera.
© Copyright 2009, todos os direitos reservados.
Igreja Batista Redenção.