Terça, 24 de Janeiro de 2017
   
Tamanho do Texto

Pesquisar

Você Precisa de um Dentista?

 

Todos nós, pelo menos uma vez na vida, já fomos ao dentista e sabemos que quase todo mundo morre de medo desse homem que insiste em cuidar dos nossos dentes.

Um filósofo cristão chamado C.S. Lewis contou que quando tinha dor de dente não dizia nada à sua mãe, pois, apesar de ela lhe dar um comprimido que faria com que a dor passasse, ela também o levaria ao dentista. O problema é que, segundo ele, o dentista não se contentaria em tratar apenas do dente com dor, mas também dos outros que não doíam. Isso porque os dentistas sempre querem fazer um tratamento completo.

Nesse aspecto em particular, Deus é como um dentista. Quando alguém o busca por causa de algum problema, ele não se contenta em resolver só aquele problema, mas passa a mexer em todas as áreas da vida da pessoa que está precisando de restauração. Deus nunca faz um tratamento pela metade. Ou ele trata toda a vida da pessoa, tornando-a um novo ser, fazendo-a tornar-se seu Filho, ou ele não faz nada. Seu tratamento é o mais completo que existe. Deus é um “dentista” maravilhoso.

Porém, apesar de terem suas vidas “cariadas” por causa do pecado, muitas pessoas não se achegam a Deus, principalmente quando descobrem que o tratamento dele é muito caro. Tais pessoas têm razão em pensar assim. O tratamento de Deus, de fato, é muito caro. A Bíblia diz que todos nós somos pecadores: “Pois todos pecaram e carecem da glória de Deus” (Rm 3.23). Também diz que nossos pecados, cáries espirituais que temos, nos separaram eternamente de Deus, tornando-nos seus inimigos culpados: “Mas as vossas iniquidades fazem separação entre vós e o vosso Deus; e os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós, para que vos não ouça” (Is 59.2). Nossas cáries espirituais, os pecados que tanto o desagradam, fizeram nosso orçamento ficar muito caro e não há conosco recursos para pagá-lo.

Porém, o que muitas pessoas não sabem é que Deus conhece a nossa situação e que ele já providenciou o pagamento a fim de que pudéssemos fazer o tratamento. Para tanto, enviou Jesus Cristo, o Deus encarnado: “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna” (Jo 3.16). Ele, por ser Deus e homem, foi capaz de pagar nossa conta infinita com seu próprio sangue: “Pois também Cristo morreu, uma única vez, pelos pecados, o justo pelos injustos, para conduzir-vos a Deus” (1Pe 3.18a). A morte de Jesus na cruz do Calvário foi o pagamento pelos nossos pecados e sua ressurreição foi a evidência de que Deus aceitou o seu sacrifício: “Porquanto estabeleceu um dia em que há de julgar o mundo com justiça, por meio de um varão que destinou e acreditou diante de todos, ressuscitando-o dentre os mortos” (At 17.31); “o qual foi entregue por causa das nossas transgressões e ressuscitou por causa da nossa justificação (Rm 4.25).

Agora, todo aquele que crê em Jesus, tendo-o como Deus e Salvador, experimenta o perdão divino e a “restauração” de sua vida anteriormente apodrecida pelo pecado, passa a ver na cruz de Cristo o “canal” de sua comunhão com Deus e fica convicto da “extração” de sua culpa: “Justificados, pois, mediante a fé, temos paz com Deus por meio de nosso Senhor Jesus Cristo; por intermédio de quem obtivemos igualmente acesso, pela fé, a esta graça na qual estamos firmes; e gloriamo-nos na esperança da glória de Deus” (Rm 5.1,2). Se essa culpa permanecesse, certamente iria levá-lo ao inferno: “Não temais os que matam o corpo e não podem matar a alma; temei, antes, aquele que pode fazer perecer no inferno tanto a alma como o corpo” (Mt 10.28).

O que você está esperando para começar esse tratamento tão urgente e necessário? Sente-se agora na cadeira da fé, abra sua boca em oração e peça que Deus o perdoe dos seus pecados, que Cristo venha habitar em seu coração como Deus e Salvador e que faça na sua vida toda a obra de restauração que precisa ser feita: “Se, com a tua boca, confessares Jesus como Senhor e, em teu coração, creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo” (Rm 10.9).

Depois disso, os problemas dessa vida, sem dúvida, vão continuar surgindo. Porém, para Deus que vê além das aparências, você sempre terá um sorriso bonito em seu coração que se tornará puro e cheio de esperança. Vá ainda hoje ao “verdadeiro dentista”, o Senhor Jesus Cristo.

“Mas a todos quantos o receberam (a Jesus), deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, a saber, aos que creem no seu nome” (Jo 1.12).

Creia em Jesus e ore a ele. Eis uma maneira como você pode orar: “Senhor, sei que tenho pecado e que preciso do seu perdão. Creio que o Senhor é Deus e que morreu por mim e ressurgiu dos mortos. Eu te peço perdão e te convido a entrar no meu coração para ser meu Senhor e Salvador. Amém!”.

Prs. Marcos Granconato e Thomas Tronco

Este site é melhor visualizado em Mozilla Firefox, Google Chrome ou Opera.
© Copyright 2009, todos os direitos reservados.
Igreja Batista Redenção.